domingo, 13 de abril de 2008

O irmão da Cinderela


Eu sou daqueles sujeitos que topa tudo para saber como funciona o marketing direto das empresas. Preencho cadastro, respondo pesquisas, atendo ligações de telemarketing, abro e-mails. Claro que não saio comprando tudo que me oferecem, mas deixo as pessoas falarem para ver onde é que querem chegar.

No final do ano passado recebi uma ligação bastante original. Me ligou uma moça, em nome de uma empresa que eu conheço, perguntando se eu poderia informar que número de sapatos eu calçava. Considerando que essa não é um informação que eu considere sensível e a minha natural curiosidade do que iriam fazer com essa informação, respondi. E fiquei esperando para ver qual seria a criativa solução que teriam.

Minha primeira suposição é que iriam me mandar um calçado qualquer como brinde de final de ano, afinal, faltava menos de um mês para o Natal, já me imaginei na festa natalina de sapato novo. Mas o sapato não veio.

Vão fazer um ação promocional de verão e me mandar umas sandálias para eu levar para a praia ou, quem sabe, uma versão especial para o carnaval (que eu não pulo, mas não fizeram essa pergunta). Saí de férias, aproveitei a praia, voltei um pouco antes do tridúo de momo. Nada. Nem sinal das sandálias que eu imaginara.

Resolvi ser mais pragmático. Tudo bem, acho que coletaram essa informação com antecedência para, depois do carnaval, quando o país começa a funcionar, fazer uma campanha de geração de leads. Vão me mandar uma caixa com só um pé do calçado e condicionar a entrega do segundo pé a uma visita de um executivo de vendas. Não é uma tática original, mas quando o brinde é valioso muita gente aceita gastar um tempo ouvindo malho de vendas.

Mas também não aconteceu isso. Minha última esperança morreu na semana passada quando aconteceu a Meia Maratona da Cidade de São Paulo e eu não recebi o possível par de tênis para competir. Quase 4 meses depois do contato não acredito que ainda possam fazer algo com esse dado. Se bem que nunca se sabe o que vai acontecer na entrega do prêmio da Abemd - será que distribuirão pantufas ?

A única conclusão a que cheguei era que estavam fazendo algum concurso no melhor estilo conto de fadas e meu pé não cabia no sapato de cristal. Além de não ganhar nada ainda fiquei com complexo de irmão da Cinderela.

Um comentário:

malmal disse...

kkkkkkkkkkkkkk, se era pra ser um texto sério, nem deu certo.
Irmão da Cinderela !?!?

Bem legal...